17 novembro 2015

Como me preparar para a volta de Jesus?

Jesus está voltandoA melhor maneira de preparar-se para este glorioso evento, que será a volta de Jesus, é estando em Cristo, comungando com Ele e permanecendo nEle:
“E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas”. (2 Coríntios 5:17 RA).
“Permanecei em mim, e eu permanecerei em vós. Como não pode o ramo produzir fruto de si mesmo, se não permanecer na videira, assim, nem vós o podeis dar, se não permanecerdes em mim”. (João 15:4 RA).
É fundamental também que perseveremos (leia Hebreus 12:1) em seguir ao Senhor. Não devemos permitir que os problemas da vida e as provações nos façam esmorecer na fé, pois:
“Todavia, o meu justo viverá pela fé; e: se retroceder, nele não se compraz a minha alma”. (Hebreus 10:38 RA).
A fim de permanecer em Cristo, primeiramente a pessoa deve crer em Jesus e aceitá-Lo como seu salvador pessoal:
“Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. (João 3:16 RA).
A aceitação de Jesus e seu sacrifício é evidenciada pelo batismo por imersão:
“Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado”. (Marcos 16:16 RA).
Se você ainda não deu esse passo, deverá fazê-lo.
Também é recomendado (pelo próprio Jesus) que vigiemos, ou seja, que tenhamos cuidado em aperfeiçoar pelo poder de Deus nosso caráter para que estejamos atentos aos sinais da volta de Jesus:
“Portanto, vigiai, porque não sabeis em que dia vem o vosso Senhor”. (Mateus 24:42 RA).
“Por isso, ficai também vós apercebidos; porque, à hora em que não cuidais, o Filho do Homem virá”. (Mateus 24:44 RA).
“Ora, ao começarem estas coisas a suceder, exultai e erguei a vossa cabeça; porque a vossa redenção se aproxima”. (Lucas 21:28 RA).
Em suma, para preparar-nos para volta de Jesus devemos:
1)      Crer nEle e aceitá-Lo como salvador, evidenciando tal disposição através do batismo;
2)      Permanecer nELe, perseverando em estudar Sua Palavra e em nossas orações;
3)      Perseverar;
4)      Vigiar;
5)      Ir à igreja (Hb 10:25)
Qualquer coisa que façamos de modo que estejamos investindo em nossa vida espiritual, contribuirá para nossa preparação.
E você? Porque não permite que Jesus tome conta da sua vida? Porque não O aceita como seu salvador?
Você pode fazer isso agora mesmo e começar sua preparação para a vida eterna hoje.
Ele está muito desejoso de dar-lhe a vida eterna!
Tome a decisão por Jesus; Ele está esperando-lhe:
“Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele, comigo”. (Apocalipse 3:20 RA).
Por que o ser humano lê tanto e nunca se transforma?
Para sermos transformados, precisamos primeiramente nos colocar nas mãos de Deus. Pois, somos transformados mediante a Sua luz. A Bíblia nos diz em João 15:5: “Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em Mim, e Eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem Mim nada podeis fazer”.
Esta também é uma questão de escolha; a cada momento fazemos escolhas, escolhemos a nossa roupa preferida, a nossa comida predileta, a cor que mais nos agrada, o perfume, etc..
Essas são algumas das escolhas que normalmente fazemos, muitas vezes as nossas escolhas acabam nos afastando de Cristo, pois são escolhas tolas, que fazemos sem antes consultar Aquele que tudo sabe, tudo vê e tudo conhece.
Devemos orar constantemente para que possamos escolher o caminho correto. Alguns escolhem seguir a Cristo, escolha correta; outros escolhem seguir o mundo e o que nele há.
A leitura não nos transforma, mas sim o Espírito Santo (ele pode usar a leitura para impressionar nossa mente).


“Como aproveitar o fim do mundo” – Globo vive dias finais
“Como Aproveitar o Fim do Mundo”, estreia no dia 1º de novembro, em rede nacional de televisão. Dois personagens solitários e opostos acabam encontrando um jeito de enfrentar a tragédia do fim dos tempos. O oitavo capítulo do seriado vai ao ar no dia 21 de dezembro – data supostamente “definida” para o fim do mundo, segundo o calendário maia. Serão distribuídos na internet, em tom de brincadeira, fotos do mundo se acabando em tempo real. O principal canal de TV do Brasil quer fazer o telespectador rir com uma tristeza velada. Nelson Freitas, integrante do elenco, faz um papel mais sério, fala sobre relacionamento. Já o ator Danton Mello, disse: “Sempre tive uma ideia de aproveitar a vida, viver o momento. A gente não sabe o que vai acontecer, tem que aproveitar mesmo.” Aproveito para perguntar: Como será o #fimdofim?

O mundo não vai acabar neste ano!
Pela cronologia do arcebispo Ussher, o mundo deveria ter acabado dia 23 de outubro de 1996. Isto não é uma piada. Há milhares de pessoas, inclusive em nosso meio, que creem que o mundo foi criado no dia 23 de outubro de 4004 a.C., às 17 horas, horário de Greenwich, e que sua duração deveria ser de 6.000 anos, terminando em 23 de outubro de 1996. Após esses seis dias de mil anos, o sétimo seria um milênio de descanso. Os cálculos do arcebispo irlandês (que viveu entre 1581 e 1656) falharam porque o fim do mundo ou, no caso, a volta de Jesus, não se resume a uma questão de matemática. É verdade que assim “como as estrelas no vasto circuito de sua indicada órbita, os desígnios de Deus não conhecem adiantamento ou tardança” (O Desejado de Todas as Nações, p. 32). Também não há dúvida de que Daniel 9:24 a 27 indicou o tempo exato da primeira vinda de Jesus. Mas a respeito de Sua segunda vinda, afirmou Jesus que “o dia e a hora ninguém sabe” (Mt 24:36 ).

“Se a cronologia não serve para definir quão perto estamos da volta de Cristo, talvez a geografia ajude”, é o que pensam os que tomam Mateus 24:14 ao pé da letra, e ficam somando quantos países possuem presença adventista e quantos são os ainda não penetrados. Ao contrário do grupo anterior, marcado por certo determinismo, os que exageram no argumento demográfico colocam muito peso na capacidade da Igreja para antecipar ou retardar a volta de Jesus. Há ainda os que relacionam o fim com um certo argumento sociológico, ou seja, Cristo está na dependência da união das igrejas, da alteração na constituição americana ou de outros fatos políticos.

Você está preparado para o maior evento?
Em todos os casos, parece muito mais uma ânsia por adivinhar, prever, visualizar os “últimos dias”. Ora, os últimos dias começaram tecnicamente com a primeira vinda de Cristo e incluem toda a era cristã! Na ocasião em que os discípulos insistiram no “quando”, querendo um sinal (Mt 24 e 25), Jesus lhes deu vários indícios, só que nenhum específico. Além disso, misturou os que se referiam à destruição de Jerusalém com os de Sua segunda vinda, e ainda chamou isso de “princípio das dores”, não de fim. A única vez, em que todo o capítulo 24 de Mateus, que Jesus utilizou a palavra “sinal” foi no verso 30, para Se referir ao próprio fato de Sua volta, e não a uma antecipação. Portanto, para Cristo, o verdadeiro sinal não é um lembrete ou convite para o evento, mas a abertura do próprio evento.

O fim se aproxima. Essa é a linguagem da Bíblia (ver 1 Co 7:29; Hb 10:25 e 37, 1 Pe 4:7). “Aquele que perseverar até o fim será salvo” (Mt 24:13). Essa perseverança combina com fé e obediência (Ap 14:12), mas não pode se apoiar em calendários, cálculos, fatos políticos, estimativas de níveis de santificação da igreja, nem nada que represente uma tentativa de “descobrir” aquilo que a soberania divina reservou, tendo em vista seguramente o nosso benefício. O fim se aproxima. “Vem, Senhor Jesus” (Ap 22:20).

O dia e a hora exatos da Sua vinda não foram revelados. Cristo disse aos discípulos que Ele Mesmo não sabia o dia ou a hora do Seu retorno, mas mencionou certos eventos através dos quais poderiam saber quando Sua vinda estaria próxima. “Haverá sinais”, disse Ele, “no Sol, na Lua e nas estrelas.” Lucas 21:25. E explicou com maior clareza ainda: “O Sol escurecerá, a Lua não dará a sua claridade, as estrelas cairão do firmamento” (Mt 24:29). “Sobre a Terra”, disse Jesus, haverá “angústia entre as nações em perplexidade por causa do bramido do mar e das ondas, haverá homens que desmaiarão de terror e pela expectativa das coisas que sobrevirão ao mundo” (Lc 21:25 e 26).

Programa da Globo brinca, mas o caso é sério.
“E verão o Filho do Homem vindo sobre as nuvens do céu, com poder e muita glória. E Ele enviará os Seus anjos, com grande clamor de trombeta, os quais reunirão os Seus escolhidos, dos quatro ventos, de uma a outra extremidade dos céus” (Mt 24:30 e 31). O Salvador acrescentou ainda: “Aprendei, pois, a parábola da figueira: quando já os seus ramos se renovam e as folhas brotam, sabeis que está próximo o verão. Assim também vós: quando virdes todas estas coisas, sabei que está próximo, às portas” (Mt 24:32 e 33).

Cristo descreveu os sinais de Sua vinda. Disse que poderíamos saber quando Seu retorno estivesse às portas. Quando as folhas das árvores brotam na primavera, sabemos que o verão está próximo. Do mesmo modo, ao se cumprirem os sinais no Sol, na Lua e nas estrelas, podemos nos certificar de que a vinda de Cristo se aproxima. Esses sinais já se cumpriram. Em 19 de maio de 1780 o Sol escureceu. Esse dia ficou conhecido na história como “o dia escuro”. Na região Leste dos Estados Unidos, tão densas eram as trevas que as lamparinas foram acesas ao meio-dia e até depois da meia-noite, a Lua embora fosse cheia, negou-se a iluminar. Muitos acreditaram que o dia do juízo havia chegado. Nenhuma razão satisfatória pôde explicar a escuridão sobrenatural, exceto a que foi encontrada nas palavras de Cristo. O escurecimento do Sol e da Lua foi um sinal de Sua vinda.

Em 13 de novembro de 1833, ocorreu uma deslumbrante queda de estrelas jamais contemplada pelo homem. Outra vez, as pessoas se convenceram de que era chegado o dia do juízo. Desde então, terremotos, furacões, maremotos, pestes, fomes, destruições por fogo ou por inundações têm-se multiplicado. Além disso, angústia e perplexidade entre as nações apontam para o iminente retorno do Senhor Jesus. Aos que haveriam de contemplar esses sinais, o Salvador disse: “Não passará esta geração sem que tudo isto aconteça”.

“Passará o Céu e a Terra, porém as Minhas palavras não passarão” (Mt 24:34 e 35).

“Porquanto o Senhor mesmo, dada a Sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos Céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e, assim, estaremos para sempre com o Senhor. Consolai-vos, pois, uns aos outros com estas palavras” (1 Ts 4:16-18).

Prepare-se. Seja feliz!

Por que está demorando tanto pra Jesus voltar?

Fim do Mundo
Com certeza eu e você já nos fizemos essa pergunta muitas vezes. Quando ligamos a TV, lemos jornais na internet ou recebemos emails com notícias de crimes hediondos, catástrofes naturais, terrorismo e outras coisas mais, essa pergunta chega até a tomar um quê de revolta contra Deus por permitir que isso continue acontecendo. Pior ainda é quando essas desgraças nos atingem diretamente através da morte de um ser querido ou alguma outra tragédia pessoal.
Por que demoras Senhor?
Será que não vês o que temos que aguentar aqui neste mundo?
Pra que ficarmos mais tanto tempo aqui nesta terra? Será que a tua promessa falhou?
São perguntas importantes, e sem dúvida se você as faz, é porque de certa forma Deus o está levando a querer estar com Ele logo!
Mas o que a Bíblia diz coisa sobre essa “demora” de Jesus?
Essa ansiedade e até dúvida devido à “demora” de Jesus não é nova. O apóstolo Pedro alertou os cristãos do primeiro século (mais de 1900 anos atrás!) dizendo que “nos últimos dias virão escarnecedores com zombaria andando segundo as suas próprias concupiscências, e dizendo: Onde está a promessa da sua vinda? porque desde que os pais dormiram, todas as coisas permanecem como desde o princípio da criação.” (2 Ped. 3:4).
Parece que Pedro está falando aos nossos dias não é? Mas na verdade, Pedro cria que ele mesmo vivia nos “últimos dias” e estava já convivendo com a dúvida da promessa de Jesus já no primeiro século!
Mas espere um pouco, Jesus não falou mesmo: “Eis que cedo venho” em Apo. 22:12? Por que então já se passaram quase 2.000 anos desde que ele falou isso?
É verdade. Mas considere o seguinte: Deus em Seu amor não revelou exatamente quando seria o fim do mundo.
E isso tem uma boa razão de ser. Imagine como teria sido triste a vida dos crentes dos séculos passados se eles soubessem que Jesus não viria nos seus dias. Imagine se eles tivessem descoberto pelas profecias que Jesus demoraria ainda séculos para voltar! Teriam desanimado facilmente ou abandonado a fé. A promessa de Jesus que viria “cedo” ou “logo” fazia seus corações vibrarem. Sua vida cristã tirava forças da promessa do retorno de Jesus para seus dias, assim como o nosso hoje.
E considere também duas coisas:
1. A brevidade da vida humana. Adão viveu até os 950 anos, hoje o máximo que alguns chegam é 100 ou 120. Esperar pelo fim do mundo hoje é muito mais “rápido” do que para os primeiros seres humanos.
2. Ninguém vê o tempo passar durante a morte. Ela é um período de inconsciência. Segundo a Bíblia, aqueles que morreram esperando pela vinda do Senhor não terão noção da passagem de tempo, se demorou séculos ou até milênios, pois entre o momento em que fecharam os olhos na morte e a sua ressurreição para a vida eterna quando Jesus voltar, terá passado somente um milésimo de segundo! (Veja Filipenses 1:21-24; I Coríntios 15:51-52).
Sem dúvida Jesus não estava dando falsas esperanças quando disse “cedo venho”!
Mas vamos voltar ao que Pedro escreveu há muito tempo atrás, sobre a demora da vinda de Cristo: “Mas vós, amados, não ignoreis uma coisa: que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia.” (2 Ped. 3:8).
Aí você pode dizer, “mas isso é pra Deus não pra nós!”
Mas eu tenho a impressão de que Pedro está querendo dizer aqui que a salvação de certa forma já está consumada pelo que Jesus realizou na cruz e por isso, não importa quanto tempo demore para Deus interferir na história, se um dia ou mil anos, a nossa salvação está garantida em Jesus!
Mas isso ainda não responde o porquê da “demora”!
Novamente Pedro nos ajuda a entender porque aparentemente demora para Jesus voltar:
“O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; porém é longânimo para convosco, não querendo que ninguém se perca, senão que todos venham a arrepender-se.” (2 Ped. 3:9).
Você viu, Deus tem um propósito de amor ao “demorar”, Ele quer que todos tenham uma chance de arrepender-se e ganhar o céu através de Jesus. Deus não está lá no céu de braços cruzados, alienado do que acontece aqui neste mundo em vez de fazer algo e acabar com tudo isso. Ele está trabalhando ativamente para que o máximo de pessoas venham a conhecer suas promessas e Seu amor. Você também já pensou que a cada dia nascem novos bebês e que Deus ama bebês? Ele quer que esses bebês cresçam e tenham a chance de escolher servi-Lo. Nada O alegra mais do que uma “pecador que se arrepende” (Luc. 15:7). Isso não significa que Deus vai esperar para sempre. Paulo diz que Deus tem um dia marcado para julgar o mundo (Atos 17:31).
Mas será que não há como saber se vai demorar muito ainda a Sua vinda?
Embora Deus não tenha revelado o dia e a hora exata do retorno de Jesus, Ele deu alguns sinais de que o tempo do fim estaria próximo: haveria sinais nos céus e catástrofes na terra, guerras, fomes, falta de amor entre as pessoas (Mateus 24). Com esses sinais, sabemos que já estamos no tempo do fim pois vemos isso na TV e internet todos os dias. Só não sabemos quanto tempo ainda vai demorar.
Aqui novamente, Pedro nos ajuda a entender quanto vai demorar esse dia:
“Virá, pois, como ladrão o dia do Senhor, no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se dissolverão, e a terra, e as obras que nela há, serão descobertas.” (2 Ped. 3:10)
Pedro diz aqui que a vinda de Jesus será uma surpresa para todos, como quando um ladrão age! E outra coisa, não importa quanto tempo demore, quando Ele vier, não terá demorado um segundo demais, pois ninguém estava esperando que fosse tão rápido! Uma escritora cristã diz que naquele dia muitos dirão Sabíamos que os juízos de Deus sobreviriam à Terra, mas não sabíamos que viriam tão cedo!”*
O apóstolo Paulo adiciona dizendo: “Mas vós, irmãos, não estais em trevas, para que aquele dia, como ladrão, vos surpreenda; porque todos vós sois filhos da luz e filhos do dia; nós não somos da noite nem das trevas; não durmamos, pois, como os demais, antes vigiemos e sejamos sóbrios.” (1 Tess. 5:4-6).
Finalmente, já que Pedro parece ter respondido as nossas perguntas, vamos deixá-lo finalizar nosso estudo:
“Nós, porém, segundo a sua promessa, aguardamos novos céus e uma nova terra, nos quais habita a justiça.” (2 Ped. 3:13)
Aí está o segredo da espera, “a sua promessa”! Pedro cria que o fim viria porque Jesus prometeu, e pronto! Isso sim é que é fé, pura e simples nas palavras de Jesu “credes em Deus, crede também em mim.” (João 14:1).
Ele prometeu, então Ele vai voltar!
Ele prometeu, não importa quanto demore!
Ele prometeu, não preciso e nem posso duvidar!
A Bíblia nos ensinou hoje que existem dois tipos de “impaciência” com a “demora” da Sua vinda: a dos que querem estar eternamente com Deus o mais rápido possível pois O amam e a impaciência daqueles que usam essa “demora” para duvidar de Deus e para continuar em seus caminhos de pecado, fazendo sua própria vontade e se afastando cada vez mais dEle.
Em que grupo você está? Medite nas palavras desta conhecida canção:
Porque não voltou o meu Senhor Pergunto a mim mesmo sem cessar. Porque não foi hoje eu não sei E quando será também não sei Mas quem sou eu pra questionar As coisas que velou?E quem sou eu pra perguntar Por que ainda não voltou? Mas de uma coisa certo estou Que meu Jesus jamais falhou E é muito sábio para errar Se ainda não voltou, é tempo de pensar E ainda mais Jesus, amar Quem sabe está a esperar que eu tenha mais fervor, A fim de encontrá-lo, em paz.
(Jader Santos)   Um abraço! André Reis Teólogo e empresário, reside na Flórida com sua esposa e duas filhas. Blog: www.AdventismoRelevante.com


obrigado Deus por mais um dia te o privilegio em pode adorar o senhor no meu culto das 6h as 8h da manha muito bom pode conversar com o senhor é leva meus pensamento ao senhor é pode ouvir sua voz através da biblia .. obrigado por ser meu amigo fiel na minha vida ...EU TE AMO Deus.

: "Como posso reconhecer um falso mestre/falso profeta?"

Resposta: 
Jesus nos advertiu que “falsos Cristos e falsos profetas” virão e tentarão enganar até mesmo os eleitos de Deus (Mateus 24:23-27; veja também 2 Pedro 3:3 e Judas 17-18). Para melhor se prevenir contra a falsidade e contra falsos mestres – conheça a verdade. Para detectar uma imitação, estude a coisa verdadeira. Qualquer crente que “maneja bem a palavra da verdade” (2 Timóteo 2:15) e que faz um estudo cuidadoso da Bíblia pode indentificar falsa doutrina. Por exemplo, um crente que leu as atividades do Pai, Filho e Espírito Santo em Mateus 3:16-17 irá imediatamente questionar qualquer doutrina que negue a Trindade. Portanto, o “primeiro passo” é estudar a Bíblia e julgar todo ensino de acordo com o que diz a Escritura.

Jesus disse “pelo fruto se conhece a árvore” (Mateus 12:33). Ao buscar por “frutos”, aqui estão três testes específicos para aplicar em qualquer mestre para determinar a precisão do seu ensino:

1) O que esse mestre diz sobre Jesus? Em Mateus 16:15, Jesus pergunta: “Quem dizeis que eu sou?”. Pedro responde: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo”, e por essa resposta Pedro é chamado “bem-aventurado”. Em 2 João 9, lemos: “Todo aquele que ultrapassa a doutrina de Cristo e nela não permanece não tem Deus; o que permanece na doutrina, esse tem tanto o Pai como o Filho”. Em outras palavras, Jesus Cristo e a Sua obra de redenção são de maior importância; tome cuidado com qualquer um que nega que Jesus é igual a Deus, desvaloriza a morte de Jesus no nosso lugar ou rejeita a humanidade de Jesus. 1 João 2:22 diz: “Quem é o mentiroso, senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? Este é o anticristo, o que nega o Pai e o Filho”.

2) Esse mestre prega o evangelho? O evangelho é definido como as boas novas concernentes à morte, ao sepultamento e à ressurreição de Jesus de acordo com as escrituras (1 Coríntios 15:1-4). Por mais bonitas que soem, as afirmações “Deus te ama”, “Deus quer que alimentemos os famintos” e “Deus quer que você tenha prosperidade” NÃO são a mensagem completa do evangelho. Como Paulo adverte em Gálatas 1:7: “Há alguns que vos perturbam e querem perverter o evangelho de Cristo”. Ninguém, nem mesmo um grande pregador, tem o direito de mudar a mensagem que Deus nos deu. “Se alguém vos prega evangelho que vá além daquele que recebestes, seja anátema” (Gálatas 1:9).

3) Esse mestre exibe qualidades de caráter que glorificam ao Senhor? Falando de falsos mestres, Judas 11 diz: “Prosseguiram pelo caminho de Caim, e, movidos de ganância, se precipitaram no erro de Balaão, e pereceram na revolta de Corá”. Em outras palavras, um falso mestre pode ser reconhecido pelo seu orgulho (a rejeição dos planos de Deus por parte de Caim), sua ganância (a profecia de Balaão por dinheiro) e rebelião (a auto-promoção de Corá contra Moisés).

Para estudar mais, revise os livros da Bíblia escritos especificamente para combater falsos ensinamentos dentro da igreja: Gálatas, 2 Pedro, 2 João e Judas. Freqüentemente é difícil identificar um falso mestre/falso profeta. É disso que se trata um “lobo em pele de cordeiro”. Satanás e seus demônios se mascaram como ministros de justiça (2 Coríntios 11:15). Apenas sendo inteiramente familiar com a verdade você será capaz de reconhecer uma imitação.

Estou preparado para fazer pregação em varios igrejas do mundos.. Deus me deu varios temas da biblia q você tem duvidas... mais informações entra em cantato(65)92375946 ou 3358-0682 para convite pra prega na sua igreja vai se uma bença..
10 características de um falso profeta
Por Renato Vargens


Um falso profeta é aquele que afirma falar em nome Deus, sem contudo representar a Deus ou mesmo pertencer a Ele.  Além disso um falso profeta propaga ensinos antagônicos as Escrituras, tomando para si uma autoridade que não lhe pertence afirmando ser aquilo que Deus diz que Ele não é.

Jesus ao falar deles disse: "Guardai-vos dos falsos profetas, que vêm a vós disfarçados em ovelhas, mas interiormente são lobos devoradores. Pelos seus frutos os conhecereis. Colhem-se, porventura, uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos? Assim, toda árvore boa produz bons frutos; porém a árvore má produz frutos maus. Uma árvore boa não pode dar maus frutos; nem uma árvore má dar frutos bons. Toda árvore que não produz bom fruto é cortada e lançada no fogo. Portanto, pelos seus frutos os conhecereis." (Mateus 7:15-20)

Já Paulo escreveu: "Rogo-vos, irmãos, que noteis os que promovem dissensões e escândalos contra a doutrina que aprendestes; desviai-vos deles. Porque os tais não servem a Cristo nosso Senhor, mas ao seu ventre; e com palavras suaves e lisonjas enganam os corações dos inocentes."  (Romanos 16:17-18)

Pedro disse: "Mas houve também entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá falsos mestres, os quais introduzirão encobertamente heresias destruidoras, negando até o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição." (2 Pedro 2:1)

Isto posto, elenco 10 características de um falso profeta:

1-) Um falso profeta relativiza as Escrituras. Para um falso profeta a Bíblia não é a Palavra de Deus. Para este as Escrituras  são falíveis e não devem servir como plena referência para o cristão.

2-) Um falso profeta fala mais em dinheiro do que em Cristo. Um falso profeta comercializa o evangelho e vende as bênçãos de Deus mediante ofertas extravagantes.

3-) Um falso profeta considera sua palavra inquestionável colocando suas profecias e revelações em pé de igualdade com as Escrituras.

4-) Um falso profeta anuncia, prega e proclama um evangelho absolutamente antropocêntrico.

5-) Um falso profeta interpreta as Escrituras segundo a ótica do seu "próprio umbigo" relativizando o absoluto e inventando doutrinas segundo os desejos de seu coração.

6-) Um falso profeta prega o evangelho da confissão positiva, negando a possibilidade do sofrimento, e anunciando um cristianismo desprovido da cruz.

7-) Um falso profeta  sincretiza o evangelho miscigenando a fé, introduzindo doutrinas espúrias as verdades inquestionáveis da Bíblia.

8-) Um falso profeta tem sede de poder, vive pelo poder e ama o poder.

9-) Um falso profeta se considera melhor do que os outros e em virtude disso, distingui-se do rebanho criando e fabricando novos títulos eclesiásticos.

10-) Um falso profeta fala de Cristo, entretanto o nega, prega sobre Cristo, mas não o conhece, fala em nome do Espírito Santo, sem contudo ter sido regenerado por ele.

Pense nisso!

13 novembro 2015

Quer ter uma vitoria rapida diante do senhor
faça um proposito 7dias em jejuam sem comer e sem beber 6h as 18h da noite orei três vez a dia até de acaba o proposito você vai ter a resposta divina de Deus.. eu sei pq eu tive a vitoria Deus...
Antes da minha filha se casar tudo era maravilhoso na vida dela e do seu futuro esposo. A partir do momento que se casaram, tudo começou a dar errado. Perderam emprego, carros e até apartamento. Não conseguiram sequer ter um filho do próprio sangue deles, apesar de Deus ter lhes dado um filho do coração. Hoje, eles têm um comércio, mas não vêem a cor do dinheiro, pois vivem endividados. Gostaria de saber o que significa isso? CL
É difícil opinar sobre o real motivo pelo qual sua filha e seu esposo se endividaram sem conhecer a história de vida deles. No entanto, seguem abaixo preciosas dicas que podem ajudá-los a encontrar a saída para essa situação.

O primeiro passo para sair das dívidas é reconhecer que precisamos de ajuda.

O segundo é pedir a Deus forças e sabedoria para fazer um orçamento familiar. Nesse orçamento deverão constar a renda líquida (entradas) e as despesas (saídas) mensais: aluguel (se não tiver cada própria), água, luz, alimentação, transporte, dízimo e ofertas (fundamental para as bênçãos virem – Malaquias 3:8-10), roupas…, etc. Em seguida, o casal deverá fazer o propósito de NUNCA gastar mais do que ganha.

Depois desse orçamento feito com base na renda líquida, poderão fazer o propósito de, inicialmente, separar pelo menos 5% do seu salário e guardar numa poupança. Isso para que tenham como se manter quando vierem os imprevistos: doença, pagamento de IPTU, entre outras coisas.

Aí, é só seguir o orçamento – que poderá ser feito numa planilha de Excel, no Word ou no caderno – e tudo irá melhorar.

Antes de tudo isso, deixo um “dever de casa” para descobrirmos por onde o dinheiro está “escoando”. O casal deve pegar um bloquinho e uma caneta para cada um. E, durante um mês inteiro, anotar TUDO o que gastarem: seja até mesmo o valor de uma bala ou lanche. No final do mês, avaliem o que foi gasto e pensem o que pode ser melhorado.

Aproveito a oportunidade para lhe indicar a leitura de um excelente livro sobre o assunto, intitulado “Administração Financeira da Família”, escrito pelo Pr. e administrador Antônio Tostes. Custa apenas 5,00 e pode ser adquirido com a editora Casa Publicadora Brasileira pelo telefone 0800 979 0606.

Despeço-me com um texto bíblico para sua reflexão: “Entregue o seu caminho ao SENHOR; confie nele, e ele agirá”. Salmo 37:5.
Sim, este sentimento vem a quase todos nós em muitas ocasiões.
Com certeza o grande interessado em que duvidemos da possibilidade do perdão e da restauração é Satanás – o grande inimigo de Deus e do homem. No entanto geralmente ele faz isso de modo bastante sutil. Aprendemos desde pequenos que atos bons são recompensados e que atos maus são punidos. E transferimos isso automaticamente para nosso relacionamento com Deus.
Pensamos: Deus não pode me amar, pois já fiz tantas coisas erradas. Ou então: não consigo “comprar” a salvação, pois ainda faço muitas coisas erradas.
A grande verdade é que Deus ama até ao maior pecador. A única coisa que ele quer é que reconheçamos que somos maus para que Ele possa nos curar. Basta arrepender-se que Deus lança seus pecados no fundo do mar. E Deus por uma escolha dEle nunca vai lá no fundo do mar buscar de volta estes pecados.
(Isaías 43:25) – Eu, eu mesmo, sou o que apago as tuas transgressões por amor de mim e dos teus pecados não me lembro.
Outra grande verdade é que nunca poderemos comprar nossa salvação. Ela é um presente de graça, uma dádiva. Nossa obediência é apenas o resposta de gratidão pelo que Deus já fez por nós.
Porque, mesmo estando tão feliz, ainda não me sinto digno de Cristo? Parece que ser Cristão é ter que ser o mais fiel e puro possível e não sei se posso ser assim.
Seu sentimento é muito natural.
Quem de nós não luta contra sentimentos de inadequação. Talvez na infância não recebemos todo o carinho e a apreciação que necessitávamos. Talvez sejamos pessoas do tipo “detalhista ou perfeccionista” que quer ter certeza de que tudo está certo nos mínimos detalhes, mas que perde um pouco da leveza e da espontaneidade dos momentos felizes…
Não importa. Deus ama você do jeito que você é. Há lugar (muito lugar) no reino de Deus para os perfeccionistas. Que seria do mundo e da igreja sem o talento daqueles que sempre acham que podem fazer melhor? Sem sua criatividade e Confiabilidade.
Há lugar também para aqueles corações feridos nas batalhas da vida que tem medo de não conseguir.
Jesus disse:
(Mateus 11:28) – Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei.
(Isaías 27:5) – Que os homens se apoderem da minha força e façam paz comigo; sim, que façam paz comigo.
(1João 1:9) – Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.
(João 1:12) – Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no seu nome;
Lembre-se: Deus é quem efetua em vós tanto o querer como o realizar, segundo a sua boa vontade. (Filipenses 2:13)
Você vai querer estar cada vez mais pertinho dele.
Ser um Adventista, ou um cristão de qualquer denominação, não significa ser uma super pessoa. É apenas amar e seguir fielmente as instruções dAquele que tanto nos amou a ponto de morrer por nós.
Como você já deve ter percebido, há muitos irmãos que ficam longe do ideal de Deus para eles. Felizmente há outros que seguem a Cristo bem de perto. Quero animá-lo a não olhar para os homens e também não temer o julgamento dos homens. Só Deus conhece os corações. Siga a Cristo o mais próximo que você puder.
Cristo é o nosso alvo e o nosso viver. Ele fará de você um vencedor!! Pode confiar

O que a Bíblia diz sobre o cálculo do tempo?

O cálculo de tempo de Deus é perfeito. A Bíblia diz em Romanos 5:6 “Pois, quando ainda éramos fracos, Cristo morreu a seu tempo pelos ímpios.”
O cálculo de tempo de Deus é controlado pela Sua compaixão. A Bíblia diz em 2 Pedro 3:8-9 “Mas vós, amados, não ignoreis uma coisa: que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia. O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; porém é longânimo para convosco, não querendo que ninguém se perca, senão que todos venham a arrepender-se.”
Tudo tem o seu tempo debaixo do céu. A Bíblia diz em Eclesiastes 3:1-8 “Tudo tem a sua ocasião própria, e há tempo para todo propósito debaixo do céu. Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou; tempo de matar, e tempo de curar; tempo de derribar, e tempo de edificar; tempo de chorar, e tempo de rir; tempo de prantear, e tempo de dançar; tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar, e tempo de abster-se de abraçar; tempo de buscar, e tempo de perder; tempo de guardar, e tempo de deitar fora; tempo de rasgar, e tempo de coser; tempo de estar calado, e tempo de falar; tempo de amar, e tempo de odiar; tempo de guerra, e tempo de paz.”

Um dia = mil anos?

Genesis3 GimpPor Eric Lyons
Se eu tivesse um dólar por cada vez que eu ouvi alguém usar a frase que serve de título ao post como forma de adicionar os milhões de anos à criação Bíblica (seis dias normais), eu seria finalmente capaz de comprar aquele novo modelo do minivan que a minha esposa quer que eu compre. Parece que onde quer que há uma discussão em torno dos dias da Criação, alguém menciona a forma como esses dias poderiam ser longos períodos de tempo. Afinal, a Biblia diz que “um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia.” Será que esta frase realmente serve de evidência em favor da Teoria Dia-Era, como muitos sugerem?
Primeiro, a Bíblia não diz que “um dia para o Senhor são mil anos, e mil anos um dia.” O apóstolo Pedro escreveu:
Mas, amados, não ignoreis uma coisa: que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia. (2 Pedro 3:8)
Pedro usou uma figura de linguagem conhecida como simile [analogia, comparação, etc] para comparar um dia com mil anos. Não é o dia que é precisamente igual aos mil anos e vice-versa, mas sim que, no contexto de 2 Pedro 3:8, essas palavras partilham duma semelhança.
Qual é o contexto de 2 Pedro 3?
Nesta passagem, Pedro lembra aos Cristãos que “escarnecedores” surgirão nos últimos dias afirmando, “Onde está a promessa da sua vinda?” (2 Pedro 3:3,4). Pedro declarou:
Mas os céus e a terra que agora existem, pela mesma alavra se reservam como tesouro, e se guardam para o fogo, até o dia do juízo, e da perdição dos homens
ímpios. (v.7)
Independentemente do que os escarnecedores alegam àcerca da Segunda Vinda, Pedro avisou a igreja para que esta saiba que “O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é Longânimo para convosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se.” (v.9)
Inserido no meio destes pensamentos está o facto do passar do tempo não afectar as promessas de Deus, especificamente o Seu regresso. Se há 1000 ou há 2000 anos atrás o Senhor Jesus prometeu um dia regressar, então essa promessa é tão válida e firme como se ela tivesse sido feita ontem. Verdadeiramente, “com o Senhor um dia é como mil anos, e mil anos como um dia.”
Com os homens, o passar do tempo geralmente afecta a sua disposição para manter as suas promessas, mas não com Deus. Com Ele, o tempo não condiciona o que Ele disse que Ele iria fazer: “mil anos são como um dia” (v.8).
Outro ponto a levar em conta é o facto de Pedro ter usado o termo “dia” (grego: hemera) e a frase “mil anos” (chilia ete). Isto por si só é evidência de que Deus pode comunicar ao homem a diferença entre 1 dia e 1000 anos. (Para que as analogias façam algum sentido, primeiramente temos que entender a diferença literal entre o que se está a comparar. Se não houvesse diferença, então o uso desta figura de expressão não faria sentido.)
Para além isso, dentro do capítulo 1 de Génesis Deus usou os termos “dia” (hebraico: yamim) e “anos” (shanim). Muitos correctamente questionaram:
Se o dia de Génesis significa mil anos (ou outro longo período de tempo), então quantos anos são mencionados em Génesis 1 ?
Tal definição da palavra “dias” torna a interpretação razoável de Génesis impossível. Os factos são:
  • (1) Deus sabe a diferença entre um dia e mil anos;
  • (2) Pedro e Moisés entendiam essa diferença;
  • (3) A sua audiência original entendia a diferença;
  • (4) Qualquer leitor sem uma ideia pré-concebida pode fazer o mesmo.
Finalmente, mesmo que 2 Pedro 3:8 pudesse ser associado a longos períodos de tempo (algo Biblicamente e logicamente impossível), acrescentar 6,000 anos à idade da Terra não seria o suficiente para apaziguar aqueles que são simpatéticos com a teoria da evolução.
Uma pessoa pode acrescentar 600,000 anos ou 600,000,000 anos mas mesmo assim não se encontrar remotamente perto da alegada idade do universo. Segundo os cálculos evolutivos, esses números ainda se encontram bem longe dos 13 mil milhões de anos que supostamente se passaram depois do mitológico big bang, e 4 mil milhões de anos afastados do momento da formação da Terra (segundo a não-científica datação evolutiva).
Claramente, mesmo o abuso de 2 Pedro 3:8 não ajuda aqueles que querem associar os dias de Génesis com um longo período de tempo.
labirinto-da-vidaEste texto que segue foi recomposto por mim, mas é um tema originário do amigo José Maria dias a quem devo os créditos.
Vamos pensar e refletir um pouquinho sobre o porquê das diversas denominações religiosas e da divisão até mesmo dentro do Cristianismo. Sabemos que há milhares de religiões espalhadas pelo mundo a fora. As proporções são mais ou menos as seguintes:
 1. Cristãos, perfazem um total de 2,2 bilhões de seguidores no mundo, se baseia na vida e nos ensinamentos de Jesus Cristo narrada por seus discípulos, os ensinamentos estão basicamente no Novo Testamento da Bíblia Sagrada. Todavia os Cristãos, seguidores de Cristo, estão divididos em denominações diferentes. São elas: 1.1. Católicos com mais ou menos a metade de todos os Cristãos, algo como 1,1 bilhão de seguidores; os Ortodoxosestão focados no oriente, são eles católicos russos e a católicos ortodoxos, ambos têm afinidade com a Igreja Católica Apostólica Romana. 1.2Protestantes Evangélicos em uma quantidade de aproximadamente 33.600 denominações diferentes totalizam a outra metade, ou seja, 1,1 bilhão. Juntos, Católicos e Protestantes perfazem 33% de pessoas seguidoras da doutrina Cristã no mundo, os outros 66% estão divididos entre outras religiões não cristãs.
 Assim “apenas” 1/3 do Planeta é de Cristãos e estão concentrados em sua grande maioria no mundo ocidental, principalmente na Europa, América, Austrália e África do Sul.  A maioria dos religiosos no mundo, os outros 2/3 são de não-cristãos. De qualquer maneiraCristãos e mulçumanos são monoteístas, ou seja, acreditam em um único Deus. Estes perfazem aproximadamente 53% do Planeta religioso.
  2Islamismos (Mulçumanos) com aproximadamente 20% da população mundial. É uma das religiões que mais cresce no mundo atualmente. É também um sistema que monitora a política, a economia e a vida social. Seu livro sagrado é o Alcorão.
 Outro fato que ocorre no mundo é que ele, quase sempre esteve dividido. Em época recente do pós-guerra tivemos dois blocos: os Capitalistas liderados pelos EEUU, e os Socialistas ou Comunistas liderados pela Rússia ou antiga União Soviética. Agora temos um embrião em desenvolvimento muito acelerado que germina nova divisão: o mundo ocidentalCristão e o mundo oriental Mulçumano, ambos monoteístas. Será que o Deus mulçumano não é o Deus dos Cristãos?
3Hinduísmo, com quase um bilhão de fiéis, é a terceira maior religião e a mais velha do mundo. A religião se baseia em textos como os Vedas, os Puranas, o Mahabharata e o Ramayama.
 4. Religiões Chinesas com ½ bilhão de seguidores.
 5Budismo com quase ½ bilhão de fies. De maneira similar ao Cristianismo, seus discípulos escreveram acerca de suas realizações e ensinamentos para que seus posteriores fiéis pudessem conhecê-lo.
 6. Judaísmo: teve início na Palestina, ainda no século XVII a.C., seu patriarca é Abraão. Atualmente só possuem 14 milhões de seguidores no mundo. O judaísmo é a Religião que “deu origem” ao Cristianismo. Os primeiros Cristãos, em sua maioria, eram Judeus.
 7. Religiões Espíritas e/ou Afro-descendentes. Poderíamos incluir aí também as religiões ameríndias e outras afins. Há também um número bem grande de seguidores destas religiões no mundo.
 Agora vamos lembrar o que diz a mais recente constituição do Brasil de 1988. No Art. 5, parágrafo VI, reza o seguinte, “É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida na forma da lei, a proteção aos locais de cultos e suas liturgias”.
 Temos que refletir outra questão: será que a nossa religião Cristã é a única correta? As outras denominações pelo mundo a fora estão todas equivocadas? Bem, além desse questionamento e reflexão gostaria de lembrar que nós, do mundo ocidental, somos na imensa maioria Cristãos, seja lá de qual dos milhares de denominações formos…  Lembrando ainda que a cada dia surge uma “seita” nova se dizendo cristã. Outro fato é que esse mundo que se diz Cristão defronta-se com um paradoxo: cria leis e normas não cristãs. Para ver mais sobre este tema leia o texto: “O mundo que se diz Cristão e suas leis não cristãs”.
Vamos avante, este mundo “do lado de Cá” quer impor suas normas e leis e religião ao “mundo de lá”. Será que isso está correto? Quando impusemos nossa religião, aos índios, aos africanos escravizados na América por nós cristãos e aos povos da América latina como os descendentes dos Incas, etc. Estávamos certos em fazê-lo? Ainda mais pela força? Daí surge um dos motivos do Sincretismo religioso…
 Gostaríamos agora, para completar este texto, de ouvir você nosso leitor que terá o livre arbítrio de se manifestar, sobre o que é, e como ou porque surgiram as várias religiões, e se são os verdadeiros caminhos para a vida eterna. Sabemos que cada religião tem o seu “sacerdote”, que prega sua doutrina litúrgica de acordo com sua “Bíblia” ou seu “livro sagrado”. É bom lembrar que cada “livro sagrado” correspondente a uma religião, e muitas vezes têm seu conteúdo particular para ser pregado de acordo com sua doutrina. Afinal, de qual delas provém o verdadeiro caminho para Deus? Será que este caminho é único, só há uma opção?
 Todos os fiéis que seguem uma religião vão em busca de lenitivos para sua alma e soluções para seus problemas, além de  procurar o caminho para sua salvação eterna – referimo-nos às religiões e crenças que pregam a vida eterna. Os Cristãos, por exemplo, vão dizer que o caminho é um só, Jesus Cristo. “Eu Sou o Caminho a Verdade e a Vida, Ninguém vem ao Pai se não por mim”. Disse Jesus. No entanto cada religião diz que há um caminho, e há uma metodologia a ser seguida. Pense bem! Se o principal objetivo dos “Sacerdotes” que pregam as diversas palavras fosse tão somente a salvação, por que então as diferentes religiões e/ou denominações não fazem as pazes e trabalham juntas? E por que os Cristãos, que estão divididos entre milhares de denominações espalhadas pelo mundo a fora e ensinam que o verdadeiro caminho é o Senhor Jesus Cristo,  Não estão em unidade? Por que há tanta separação entre os próprios Cristãos? E por que nós cristãos nos julgamos o único caminho para Deus?

. "Recebe Essa Palavra Ai"      Deus Vai Surpreender,   Quem Te Julga Incapaz.